Operação Almirante: Procuradoria Europeia revela apreensão no valor de 67 milhões de euros

No passado dia 29 de novembro uma mega-operação simultânea em 14 países da Europa permitiu desmantelar um grupo criminoso internacional que terá lucrado 2,2 mil milhões de euros através da fuga ao IVA.

A Operação Admiral começou em abril de 2021, em Portugal, mais precisamente em Coimbra, quando a Autoridade Tributária detetou fugas ao IVA de uma empresa que vendia dispositivos eletrónicos como telemóveis e tablets. Este caso em Portugal foi apenas o rastilho que permitiu desvendar a maior fraude de IVA já detetada na União Europeia, envolvendo cerca de 9 mil entidades comerciais e mais de 600 pessoas em 30 países.

A mega-operação de novembro resultou na detenção de 24 pessoas em Portugal, Itália e França, incluindo a ex-apresentadora de televisão Ana Lúcia Matos e o marido, sendo que este é tido como um dos cabecilhas da rede em solo nacional, junto com uma família francesa residente em Guimarães.

Entretanto, esta terça-feira, a Procuradoria Europeia partilhou o resultado das 312 buscas realizadas que permitiram apreender bens no valor de 67 milhões de euros.

Lista de apreensões: 81 imóveis, 529 contas bancárias, 31 carros de luxo, mais de 2,5 milhões de euros em dinheiro, 104 relógios de luxo, AirPods no valor de 2 milhões de euros, 42 acessórios de luxo e uma Kalashnikov.

Continuam em marcha diligências para recuperar centenas de milhões de euros em falta.

COMENTÁRIOS

RELACIONADOS