Jovem diz-se ridicularizada por causa da sua barba mas que ainda se sente mulher

Rosina Al-Shaater, de Bristol, Reino Unido, começou, em 2016, a deixar os seus pelos faciais crescerem como se de uma experiência social se tratasse, de forma a saber como as pessoas reagiriam ao vê-la de bigode e barba. Rosina, que tem síndrome do ovário policístico (SOP), removia o excesso de pelos faciais desde os 13 anos de idade, mas depois de anos de depilação, ela decidiu abraçar totalmente o bigode e a barba.

Desde então Rosina tem recebido muitas críticas por ser uma mulher com barba, mas isso não a afeta. Ela acredita que a sua barba destaca a sua feminilidade.

Rosina acrescenta que: “Não quero remover os meus pelos faciais só porque os outros querem que o faça. Quero chegar a um ponto em que me ame e me aceite completamente”.

COMENTÁRIOS

RELACIONADOS