“Ela Queria Três”: o videoclipe polémico de José Malhoa gravado à revelia da igreja

José Malhoa lançou na passada terça-feira o seu mais recente single, “Ela Queria Três”, tornando-se posteriormente notícia após um comunicado da paróquia de Cortegaça, em Ovar, local onde foi gravado o videoclipe.

Segundo a paróquia, as imagens foram registadas no interior e exterior da igreja sem autorização e acusam o cantor de ter agido à revelia, prometendo “agir em conformidade”.

“A Paróquia de Cortegaça, vem através deste comunicado, manifestar a sua indignação pela forma “espalhafatosa” como o artista José Malhoa e a sua equipa de produção usaram a Igreja Matriz de Cortegaça, atingindo maior gravidade, aquilo que consideramos mesmo uma profanação do espaço interior da nossa Igreja, ao utilizar um lugar Sagrado, para um uso satírico e imoral, ao serviço de um objectivo e propósito de âmbito pessoal, desrespeitando toda uma comunidade que tem na Igreja de Cortegaça a sua referência e identidade.

A Paróquia de Cortegaça e o seu Pároco, responsável máximo da Igreja de Cortegaça, em momento algum receberam qualquer pedido de autorização para as filmagens deste videoclipe do Artista José Malhoa, E COMO É OBVIO TUDO ISTO FOI FEITO À SUA REVELIA, sem qualquer autorização da Paróquia de Cortegaça!

Face a estas circunstâncias iremos analisar devidamente toda esta inconveniente situação, inteirando-nos do respectivo enquadramento legal, pelo que a Paróquia de Cortegaça irá agir em conformidade!”, escreveu a paróquia de Cortegaça nas redes sociais.

Entretanto Salvador Malheiro, presidente da Câmara de Ovar, revelou que a Autarquia apenas deu autorização para que fossem realizadas gravações no adro. Ao que tudo indica, a entrada na igreja aconteceu depois de um membro do staff de José Malhoa ter pedido a um colaborador da paróquia para abrir a porta.

COMENTÁRIOS

RELACIONADOS