Homem garante ter viajado até 2030 e passou no detetor de mentiras
16/02/2018

Um norte-americano conhecido pelo nome fícticio "Noah" está a criar polémica em todo o mundo. O homem diz que tem 50 anos, mas aparenta uns 25, devido a comprimidos fornecidos pela CIA que impedem o envelhecimento.

Numa entrevista ao programa de rádio Kyle and Jackie O, Noah afirmou que viajou até 2030 e fez previsões para os próximos 12 anos. O mais incrível é que todas as afirmações foram dadas como verdadeiras num teste de detetor de mentiras.

Não é a primeira vez que é notícia por afirmar viajar no tempo, mas esta é a primeira entrevista na qual Noah faz previsões detalhadas sobre o que acredita serem os próximos anos da humanidade. Segundo ele, que diz ter começado a sua missão ainda no secundário, o atual presidente dos Estados Unidos será reeleito, mas será sucedido por Ilana Remikee, uma descendente de Martin Luther King Jr. Noah crê que Ilana chegará à Casa Branca aos 21 anos devido a uma nova lei que autoriza presidentes mais novos.

E mais, no futuro os pais poderão "criar e produzir" os próprios filhos, mas a um preço muito elevado. Afirma que, embora sejam impostas certas limitações, os pais poderão alterar os genes das crianças de modo a eliminar qualquer doença que tenham antes do nascimento ou que possam vir a contrair ao longo da vida.

A tecnologia terá também um grande papel no futuro. Noah contou que a cripto moeda terá uma grande influência mas a moeda atual continuará em circulação. Os humanos chegarão a Marte em 2028 e nesse mesmo ano, as viagens no tempo serão de conhecimento público.

Noah aceitou fazer um teste de polígrafo como forma de provar a veracidade dos testemunhos, mas continua sem convencer os mais céticos. Segundo especialistas, a prova dá como verdadeira uma resposta falsa se o indivíduo acreditar muito na sua resposta.